Três plataformas de streaming para fugir da Amazon, Netflix e Disney+

Está cansada ou cansado dos streamings convencionais de filmes e séries, como Amazon Prime Video e Netflix? Já assistiu a tudo aquilo que gostaria nessas plataformas e agora deseja gastar tempo com filmes diferentes, mais autorais e fora dos grandes circuitos de blockbusters hollywoodianos? Então este post é pra você!

Aqui, mencionarei três plataformas de streaming como dica a quem quer optar por filmes mais “cults“, autorais e vanguardistas, que fogem da estética padrão dos filmes norte-americanos. Vamos lá?

1.Mubi

O Mubi é uma plataforma de streaming bastante interessante e intuitiva, de fácil acesso em variados dispositivos eletrônicos (notebook, desktop, celular, smarTV, entre outros). Como boa invenção que é, os idealizadores do Mubi tentaram responder, além de outras questões, à seguinte:

Por que você não pode assistir Amor à flor da pele em uma lanchonete em Tóquio no seu iPad?

Logo da plataforma Mubi.

Vantagens

A principal vantagem do Mubi é o seu variado e diversificado acervo de longas-metragens. De clássicos do Neorrealismo italiano como Alemanha, ano um, passando por obras da Nouvelle Vague e chegando, inclusive, ao cinema brasileiro, a plataforma agrupa centenas de clássicos da sétima arte, além de obras contemporâneas lançadas em festivais de cinema mundo afora.

Outra vantagem é a divisão dos filmes em categorias dentro da plataforma. Se você quiser, por exemplo, buscar filmes dirigidos por mulheres, há uma categoria que reúne apenas obras com essa característica.

Mais um elemento vantajoso: dentro do próprio Mubi, há como acessar a comunidade de usuários da plataforma, o que permite conversas, debates, discussões e comentários sobre qualquer filme a que se tenha assistido.

Vale dizer, também, que os curadores do Mubi adicionam todos os dias um novo filme; assim, o espectador pode até tentar assistir a todas as obras, mas sempre haverá novidade no catálogo.

Quanto custa?

Para assinar o Mubi, o valor é R$ 27,90, exatamente o mesmo preço do Disney+; a diferença é que o Disney+ aposta fortemente na nostalgia, com poucas produções originais. O Mubi, por sua vez, tem um acervo vasto de filmes que não se encontram facilmente em outras plataformas ou mesmo em lojas (para quem curte colecionar mídia física). Além disso, para assinantes, os 7 primeiros dias são de acesso gratuito, o que dá a chance de conhecer melhor a plataforma antes de efetivamente decidir manter a assinatura. Para estudantes, o período gratuito é de 30 dias.

2. Belas Artes à la carte

Esta é a grande novidade de 2020: o Cine Belas Artes, renomado cinema de rua que se localiza na Rua da Consolação, em São Paulo, ganhou uma versão on-line que dá acesso a um cardápio bastante diversificado de filmes, inclusive aqueles que estão em cartaz no momento. A ideia veio bastante a calhar, já que boa parte do público frequentador do cinema foi impedido de comparecer às sessões em razão da pandemia de COVID-19. Com isso, outros espectadores curiosos que não têm o hábito de frequentar o Belas Artes podem acessar o conteúdo transmitido lá.

O perfil do Cine Belas Artes também veio no pacote do novo serviço de streaming: na plataforma, não se encontram filmes óbvios, blockbusters ou aqueles que estão “em alta”. O espectador encontrará longas-metragens alternativos, de cara mais autoral, assim como no Mubi.

Qual é, então, a diferença entre Mubi e Belas Artes à la carte?

A primeira das diferenças é uma das mais notáveis: o preço. Para assinar o Belas Artes à la carte, o valor é de R$ 9,90 por mês (ou R$ 108,90 por ano), mesmo preço do Amazon Prime. Ao contrário do Mubi, o Belas Artes não tem período gratuito de experiência. Quer assistir? Já vai pagando.

Vantagens

Além do preço, existem outras vantagens muito interessantes para esta plataforma. Uma delas é a disponibilização de extras para vários dos filmes em catálogo. Algumas das obras, a exemplo do argentino Samy y Yo, tem dois vídeos extras disponíveis. Para quem gosta de analisar os bastidores, é uma ótima pedida.

Um aspecto interessante no Belas Artes é a sua conexão direta com o canal do cinema no YouTube, em que se discutem alguns dos filmes e são anunciadas novidades, entre outras informações. O canal é comandado e dirigido pelos curadores do cinema, o que indica certo esmero com os dados e informações divulgadas. Além disso, a partir da página do streaming, é possível acessar o blog Filmes Cults, que traz informações bem legais e ricas sobre cinema. O bacana desse blog é que qualquer pessoa pode acessar, seja assinante do streaming ou não.

Os curadores do Cine Belas Artes explicam a plataforma.

Outro aspecto interessante é que, ainda que você não seja assinante, é possível apenas alugar os filmes, de maneira ocasional, sem ficar preso a uma assinatura mensal. O aluguel varia, normalmente, entre R$ 4,90 e R$ 19,90. Entretanto, nem todos os filmes do catálogo do Belas Artes estão disponíveis para essa modalidade, o que é um pequeno problema.

3. Tamanduá TV

Vinculado ao canal de TV fechada Curta!, o Tamanduá TV é um serviço de streaming que também veio se fortalecendo em virtude da pandemia, embora não tenha sido lançado este ano. Trata-se de um serviço intuitivo e prático, no qual há muitas opções entre filmes e documentários.

Vantagens

Uma das vantagens do Tamanduá TV é o fato de que ele se destina a públicos variados; há assinaturas para quem tem perfil de estudante do Ensino Médio, para professores e para curiosos. Cada perfil tem um valor de assinatura, mas eles não são muito discrepantes.

Outra vantagem é a variedade de conteúdo; há muitos documentários, filmes e séries, boa parte deles voltada à cultura brasileira. Isso é um fator de destaque, inclusive, em relação aos outros dois serviços de streaming mencionados anteriormente.

No Tamanduá TV, também é possível alugar filmes a partir de R$ 1,90, caso você opte apenas por assistir aos filmes e documentários da plataforma ocasionalmente. O valor de assinatura mensal varia de acordo com o plano escolhido: o Plano Enem custa R$ 11,90; o Plano CineBR, R$ 9,90; o Plano CineDocs, R$ 12,90; o Plano MetaCine, R$ 11,90; o Plano CineEuro, R$ 9,90; o Plano Curta+, R$ 13,00; e o Plano Professor, R$ 11,90.

Outra vantagem interessante é o caráter pedagógico/disciplinar da plataforma. Ao assistir a um filme ou curta-metragem, o Tamanduá já recomenda outras produções de temáticas semelhantes para ver em seguida. Para os estudantes de Ensino Médio, isso facilita na procura de longas ou documentários a fim de, por exemplo, compor o tão cobrado repertório externo na redação do ENEM. Se esse é o seu perfil, vale a pena investir.

Bônus: YouTube

Surpreso? Pois é; o YouTube, a maior plataforma de compartilhamento de vídeos das redes, também guarda algumas pérolas do cinema nacional e estrangeiro, especialmente longas-metragens mais antigos. Existem algumas playlist no site que agrupam diversos filmes na íntegra.

Filmes como Nosferatu: uma sinfonia de horror (1922), O gabinete do dr. Caligari (1919), Deus e o diabo na terra do sol e Terra em transe, de Glauber Rocha, são muito fáceis de serem encontrados no YouTube. O problema é que nem todos estão em ótima qualidade.

Frame de Deus e o diabo na terra do sol, disponível na íntegra no YouTube.

Vantagens

A principal vantagem de assistir aos filmes no YouTube é que não é necessário pagar nada além do plano de internet para isso. É só pesquisar e apertar o play. Além disso, é possível alugar ou mesmo comprar filmes no YouTube, em ótima qualidade. Bacurau, de Kléber Mendonça Filho, é um dos longas disponíveis para compra ou aluguel. Também é possível escolher qualidade padrão ou HD.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s