Conheça Tell Me a Story: uma versão moderna dos contos de fadas

Quem pensa que Once Upon a Time é a única série que “brinca” com contos de fadas é porque nunca ouviu falar em Tell Me a Story. Baseada na série mexicana Érase Una Vez, a trama ganhou uma versão americana que está disponível no serviço de Streaming da Amazon Prime Video aqui no Brasil, contendo duas temporadas. A terceira infelizmente não terá, pois a série foi cancelada. 

O objetivo da série é trazer os famosos contos de fadas que marcaram nossa infância para o mundo atual. Dessa forma, recriam tais histórias adaptando-as para a realidade. Como seria a Chapeuzinho Vermelho se ela vivesse na Nova York do século XXI? Quem seria e o que faria o lobo mau dos 3 porquinhos se ele estivesse inserido num universo sem magia? Essas e outras perguntas são levantadas de forma bem interessante em Tell Me a Story. 

A produção não economiza no fator drama. É tragédia pra todos os lados. Se numa temporada tem uma adolescente lidando com a morte da mãe enquanto tem um caso e é perseguida pelo ex amante dela sem saber da ligação entre os dois, na outra temporada somos apresentados a um escritor que sequestra e assassina mulheres como forma de superar seu bloqueio criativo. Ou seja, se você prefere aquelas adaptações açucaradas da Disney, esquece! Essa série definitivamente não é pra você! (Inclusive, na 1ª temporada tem um personagem que critica essas versões chamando-as de capitalistas e muito divergentes das versões originais dos contos). 

Tell Me a Story faz jus a origem dos contos de fadas. Aqueles escritos por Charles Perrault, que possuíam um tom mais sombrio, macabro e mais destinado ao público adulto. 

São 3 contos divididos em 3 núcleos diferentes, que se entrelaçam de alguma forma no decorrer da série. Todos são tratados com o mesmo nível de importância. Não existe trama principal e tramas secundárias, cada temporada adapta 3 contos de fadas e cada um tem uma história particular que é desenvolvida na mesma proporção e com o mesmo tempo de tela dos outros. Pode-se dizer que tem 3 protagonistas em cada temporada, que corresponde respectivamente aos mesmos protagonistas dos contos que estão tirando como inspiração.  

1ª temporada: Chapeuzinho Vermelho, 3 Porquinhos e João e Maria

Na primeira temporada vemos a Chapeuzinho Vermelho na pele de Kayla (Danielle Campbell); uma menina revoltada que culpa o pai pela morte da mãe e se envolve amorosamente com o professor de inglês substituto do colégio, 3 homens trajando máscara de porco (referência óbvia) invadindo uma joalheria, o que acaba por causar o assasinato de uma mulher, cujo noivo envolvido pelo sentimento de vingança passa a se identificar com o apelido de Mr. Wolf (senhor lobo) e a perseguir os assaltantes, e dois irmãos sozinhos no mundo, fugindo de uma máfia de criminosos após se envolverem numa enrascada envolvendo morte, dinheiro sujo e muita violência. 

A primeira leva de Tell Me a Story não deixa nada a desejar. Apesar de um episódio piloto meio morno, o restante da temporada consegue prender o espectador de maneira que ele vai querer assistir um episódio atrás do outro. Por ter uma pegada policial, cheia de mistérios a serem desvendados, se torna muito envolvente. Os segredos vão sendo revelados aos poucos, criando uma tensão em quem assiste. Sem contar que a forma que as tramas se conectam também é um incremento a mais para o público. 

Cartaz 1ª temporada

(SPOILER!!!)  A série só pecou um pouco em dois momentos na primeira temporada. A morte prematura do personagem Ethan (Rarmian Newton) é o primeiro fator. O personagem poderia ter sido mais explorado, pois provavelmente traria cenas interessantes. O confronto entre ele e o Nick (Billy Magnussen) foi resolvido muito rápido. Seria mais instigante se Ethan conseguisse escapar do Nick,talvez sumisse por um tempo para o professor pensar que ele era carta fora do baralho, até que depois de um tempo o garoto reaparecesse o ameaçando. O conflito entre os dois com certeza renderia mais cenas e a dúvida da Kayla em quem acreditar também. Fora isso, faltou mostrar o pai da Kayla (Sam Jaeger) descobrindo que a Katrina (Becki Newton) era uma criminosa, além de explorar a relação da filha com a madrasta. Quem sabe a própria Kayla podia descobrir quem de fato era a mulher que seu pai estava se envolvendo? Um atrito entre as duas, com a dona do hotel colocando a vida de sua enteada em perigo seria um bom plot. (FIM DO SPOILER!!!)

Tirando essas questões, essa temporada foi bem mais envolvente que a segunda. 

2ª temporada: A Bela e a Fera, Cinderela e A Bela Adormecida 

A segunda temporada de Tell Me a Story mostra uma família formada por 3 irmãos, na qual os 3 fazem parte de um núcleo, mas se conectam através do laço familiar. 

Representando a história da Bela e a Fera temos uma cantora pop de sucesso que sofre um acidente planejado por alguém misterioso e se apaixona por seu segurança, uma órfã que desconfia que a madrasta e seus dois filhos estão por trás do assassinato de seu pai e, um sequestrador de mulheres com traumas relacionados à morte da irmã gêmea. 

O legal dessa temporada foi a inversão de gêneros. Na história da Bela e a Fera, o homem cujo nome é Beau é a Bela e a mulher, que ficou com cicatrizes no corpo devido às queimaduras causadas pelo acidente, é a fera da vez. Na adaptação da Cinderela, as irmãs más são dois rapazes. E em A Bela Adormecida, o homem é a Bela Adormecida e a Malévola ao mesmo tempo. 

Cartaz 2ª temporada

Essa temporada foi fraca comparada com a primeira. É visível o quanto o padrão caiu de uma pra outra. O clima de romance na trama da Bela e a Fera (principalmente) e os conflitos do núcleo da Cinderela chegam a ser cansativos na maior parte. Falta carisma no elenco, que passa despercebido, com exceção dos únicos atores que participaram também da primeira temporada; a Danielle Campbell que foi a Chapeuzinho na primeira e a Malévola na segunda e o Paul Wesley que viveu um dos porquinhos na temporada antecessora e nessa fez a Bela Adormecida. Os dois estão completamente diferentes dos personagens que viveram na primeira temporada. Não tem semelhança alguma! Dando até pra esquecer que são os mesmos. Vale a pena dar uma pesquisada nesses dois nomes e conferir a filmografia deles.

Confere o perfil deles na wikipédia aí: 

. Danielle Campbell: https://pt.wikipedia.org/wiki/Danielle_Campbell

. Paul Wesley:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Paul_Wesley

Diante disso, nem é preciso dizer que o núcleo que chama mais atenção nessa temporada é justamente o formado pelos dois; o núcleo da Bela Adormecida. Ou melhor, é a única trama que salva a segunda temporada apesar de assim como as outras também deixar pontas soltas. Faltou explicar melhor, por exemplo, sobre o que Tucker (Paul Wesley) escrevia e como exatamente manter mulheres encarceradas em sua própria casa melhorava seu bloqueio criativo. Seus livros são sobre mulheres vítimas de sequestro e por isso precisava prendê-las pra ver como elas reagiriam ou era sobre as histórias de vida delas? Ele as sequestrava porque achava que se apenas se aproximasse delas elas não iriam se abrir com ele? Então, o sequestro era a única forma de obrigá-las a falar? Essas e outras dúvidas podiam ter sido respondidas ao longo da temporada. 

Por fim, presta atenção nessa dica: Não confie em ninguém de primeira em Tell Me a Story! Nessa série, quem parece ser o mocinho na verdade é o vilão e vice-versa. Portanto, muito cuidado! Não se esqueça que as aparências enganam. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s