Abuso psicológico no BBB?

Arthur Aguiar já voltou de 4 paredões e em todos eles com o menor índice de votação, sendo o último com 1% de voto. A maioria do público o defende com unhas e dentes e até mesmo criou um bordão pra ele: ” Arthura ou surta”

O irônico é que esse bordão esconde sua estratégia no jogo. Quem não o “arthura”, de fato, acaba surtando. O marido de Maíra Cardi faz uso de jogos mentais para desestabilizar suas vítimas, em sua maioria mulheres (porque será?).

Manterrupting

Sempre que alguém se atreve a contestar ele, sua primeira forma de rebater é interromper a pessoa com a mesma tática; fazer o outro se sentir inferiorizado e ridicularizado perante os demais. É comum ele atrapalhar a fala da pessoa com frases do tipo: ” tá falando tudo errado, mas vou deixar você continuar”.

Nisso, por mais que a pessoa tenha convicção do que ela está falando, ela acaba ficando insegura sobre o que sente e pensa e duvidando da própria capacidade de percepção. 

Além disso, quando ele interrompe seus adversários, automaticamente a pessoa perde a linha de raciocínio e acaba se embolando na argumentação, causando o efeito que Arthur desejava desde o início: provar que a pessoa não tem argumentos contra ele.

O nome desse tipo de abuso psicológico é chamado de manterrupting. Ocorre quando um homem interrompe constantemente a fala de uma mulher, não permitindo que ela conclua sua frase. 

Gaslighting

Uma outra estratégia de Arthur é fazer a pessoa parecer louca. Ele tem a habilidade de confundir a mente da pessoa pra ela achar que o que ela acredita não é real, desconfiando da sua própria sanidade. 

O nome dessa prática é gaslighting. O termo se refere a uma forma de abuso psicológico na qual informações são distorcidas, seletivamente omitidas, para favorecer o abusador ou simplesmente inventadas com a intenção de fazer a vítima duvidar de sua própria memória, percepção e sanidade. 

Toda vez que estou tentando falar, você me interrompe. Você sempre fala que eu fico criando coisas que não existem, que eu não sei do que estou falando, que dou show… Eu te acho arrogante por isso. Só você está certo, só você sabe falar, você não interpreta nada errado. Você só me diminui o tempo inteiro. É o que eu sinto”. (Fala da Laís durante o jogo da discórdia) 

Gaslighting de Arthur no BBB: psicóloga e professora de Direito comentam

Segundo a professora de Direito da Unifesp, Maira Zapater, mesmo antes de ser reconhecida e colocada no código penal, a questão do constrangimento psicológico já era contemplada na Lei Maria da Penha: “Não era crime por si só, mas poderia ser reconhecida como uma violência doméstica, ajudando a proteger a mulher vítima desse abuso em um relacionamento.” 

Para a psicóloga Mara Leme Martins, essa diminuição das falas de Laís na casa é uma ferramenta de manutenção de poder sobre o outro. 

“É uma dinâmica de implementação de culpa, medo e desconstrução de identidade. Você não precisa atacar alguém fisicamente para feri-la. Se você fizer ela duvidar de uma atitude ou caminho escolhido, o estrago já está feito”  (Mara Martins, psicóloga). 

Mara ainda afirma que a interrupção e a distorção usada por Arthur quando questionado, serve também para distorcer a visão do público. “Ele faz quem está nessa dinâmica se perguntar se está sendo o vilão, enquanto quem manipula o discurso e a narrativa é o mocinho. Nesse caso, com uma mulher como alvo, pinta ela como desequilibrada e errada dentro e fora da casa, com ele sempre certo em suas argumentações e ela sempre errada”.

Referência: Universa Uol

Opiniões das mulheres da casa sobre o comportamento passivo-agressivo de Arthur

Jessilane

” Muitas vezes, a Laís não consegue concluir o raciocínio porque é interrompida. E isso desconstrói o que ela vinha falando. Isso pode acontecer quando você interrompe a pessoa, e quando ela volta a falar vira uma coisa muito maior”.

Lina

” Senti que a Laís ficou insegura em relação ao Arthur. O Arthur já tá conseguindo fazer esse lugar. Foi muito bom falar desse lugar que incomoda, porque incomoda a mim quando ele fica falando dessas coisas em relação a ela, porque eu acho isso muito chato. Parece que tá tirando ela de louca.” 

Além disso, Lina considera Arthur dissimulado, porque ele não traz coisas novas para contra-argumentar aquilo que o adversário diz, ele usa o que o outro fala a seu favor.

Natália

Em conversa com Laís, após jogo da discórdia, Natália deu sua opinião sobre a discussão entre a sister e Arthur: 

“Achei você totalmente leal a você, leal ao que você pensa e leal ao seu argumento. Acho que, às vezes, você se influencia pelo contra-ataque. Em momento nenhum eu vi você sendo grossa ou dando show. Só acho que, quando isso é pontuado, acredito que você não deveria dizer que se equivocou”. 

Arthur só tem coragem de se impor com mulheres? 

Arthur se inflama quando a discussão é com mulheres. Quando seu alvo é Jade, Laís, Jessi, Eslô ou Natália, ele interrompe a todo momento e tenta fazê-las parecerem histéricas e malucas. Já quando Gustavo o rebateu durante o jogo da discórdia, ele se encolheu e até chorou, depois, no colo do Paulo André, por não ter conseguido responder direito. 

A mudança de postura foi tão clara, que muita gente no twitter disse que ele até abaixou o tom de voz para falar com Gustavo. 

Será que ele só tem coragem de fazer uso de manipulações psicológicas com mulheres? 

“Você sempre fala que a gente tira de contexto as suas frases. Quando a tua frase abre contextos diferentes, você não tem que culpar o outro por tirar de contexto, você tem que ser mais claro nas suas frases, para que elas não gerem outros contextos”.  (Gustavo, durante o jogo da discórdia) 

É aquilo né!? Se o receptor não entende a mensagem a culpa é do emissor que não soube transmiti-la com clareza. 

Arthur distorce as falas dos outros pra botar o público contra seus adversários?

Arthur pegou o que Laís disse sobre torcer para que o público não se deixe manipular por ele, para fazer parecer que ela estava falando mal do público. Mesmo ela explicando que não era sobre o público e sim sobre Arthur, (ou seja, ela não estava criticando o público, mas sim, a postura do Arthur) ele continuou batendo na tecla de que ela estava falando sim sobre o público, pois estava se dirigindo diretamente aos telespectadores do programa. 

E ainda, pra piorar a situação pro lado dela, ele ainda soltou “se você quiser consertar, tudo bem”. Dando a entender que ela de fato quis criticar o público e precisava se desculpar com eles e consertar o que disse. 

Nesse diálogo entre eles fica claro que Arthur distorceu o que Laís disse pra queimá-la com o público. Só que como o modo de agir dele é sutil, nem todo mundo percebe. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s